quinta-feira, 16 de setembro de 2010

PMs armam flagrante e prendem pedófilo

"O que é que eu posso fazer por você?". "O que eu posso fazer é te prender!". O diálogo entre um homem acusado de pedofilia e um policial militar aconteceu esta semana numa praça do Centro de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O ambulante A.H.T.S., de 29 anos, caiu no flagrante armado por um tia do menino e dois cabos do 15º BPM (Duque de Caxias), que tramaram nesta sexta-feira a prisão do homem que vinha aliciando o sobrinho dela. O acusado pode responder ainda por tentativa de suborno, já que ofereceu dinheiro aos PMs para ser liberado.

"A gente ficou indignado com a situação e ao mesmo tempo comovido com o desepero dessa mulher, que estava morrendo de medo", contou um dos policiais, abordado nesta sexta-feira pela tia do garoto numa rua de Caxias. Ela teve acesso às conversas do acusado com o garoto pela internet. Num trecho do diálogo, o homem diz que vai passar o pênis pelo corpo do garoto e pergunta, inclusive, onde o menino quer que ele ejacule. "Temos filhos pequenos e isso é revoltante", completou o cabo. Ele e seu parceiro na prisão deveriam estar de folga hoje, mas foram trabalhar só para prender o ambulante.

O menino contou que conheceu o homem numa lan house e, desde então, vinha sendo assediado por ele através de sites de relacionamento de bate-papo na rede. A tia contou aos policiais que o homem havia marcado encontro com a criança numa praça, próxima à favela Vila Ideal, às 10h. Descaracterizados, um policial ficou no carro com a tia da criança e usou uma câmera para filmar a chegada do acusado, a conversa dele com o menino e o momento em que eles se retiravam para ir até o apartamento do ambulante, no bairro Centenário, conforme teria sido 'combinado'. Nesse momento, o outro policial apareceu e deu voz de prisão ao acusado, que informalmente teria admitido o crime e ainda tentou oferecer dinheiro ao PM.

Nesse momento, os PMs levam o acusado para a 62ª DP (Imbariê), que hoje funciona como central de flagrante. A tia e o menino também estão indo para a delegacia para formalizar a queixa. "É um crime bárbaro e as pessoas precisam estar atentas sobre o uso do computador pelas crianças. É preciso ressaltar também a iniciativa dos policiais, que deveriam estar de folga, mas cumpriram seu dever", comentou o tenente-coronel Sérgio Mendes, comandante do 15º BPM (Duque de Caxias).

Um comentário:

  1. Até onde eu sei não se admite a prisão por flagrante preparado. Logo, esse homem deve ser solto.
    Duas perguntas. Qual a idade do menino? Qual o crime em questão?

    ResponderExcluir