quarta-feira, 18 de agosto de 2010

PM apreende bala de canhão em Manguinhos

Uma munição gigante chamou a atenção da polícia ao ser apreendida por policiais do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv), na manhã desta terça-feira, na favela de Manguinhos, no Subúrbio. Com 38 centímetros de altura e pouco menos de dois quilos, a munição antiaérea caiu das mãos de dois bandidos que trocaram tiros com os PMs num dos acessos à Linha Amarela e fugiram para a comunidade. "Eu nunca vi um negócio desses. Fiquei impressionado", contou o sargento Condeixa.

De acordo com policiais da Delegacia de Repressão a Armas e Explosivos (Drae), trata-se de uma munição de tanque ou canhão, de 30 milímetros, curto alcance e usado em combates aéreos, navais ou terrestres. "Não é uma munição explosiva, mas sim perfurante, com poder de fogo absurdo, capaz de jogar um veículo blindado para o ar", explica um policial.

Os investigadores, no entanto, acreditam que a bala apreendida sirva apenas para intimidação, já que para fazer um disparo seria preciso um canhão ou um tanque de guerra. "Os traficantes não têm como disparar uma munição como essa. Imagina isso dentro de uma favela. Só o deslocamento de ar, no momento do tiro, iria matar o atirador e derrubar barracos. Não tem utilidade nenhuma. Nem em demonstrações militares se usa esse tipo de munição", comenta o agente.

A bala gigante não tinha informações sobre origem, mas os policiais da Drae acreditam que tenha sido desviada de alguma unidade militar, assim como outros armamentos que chegam ao Brasil. Havia apenas a inscrição CV, referência ao Comando Vermelho, facção criminosa que domina a favela de Manguinhos, onde quem gerencia o tráfico é Daniel Luiz Soares, o Daniel Papai. A munção foi levada para o Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE), onde será periciada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário