sábado, 10 de abril de 2010

Governo proíbe Centro de Operações de passar informações à imprensa

O Centro de Operações do Corpo de Bombeiros está fazendo um excelente trabalho na contagem e atualização do número de mortos (que só interessa, no caso, à imprensa porque o parente do morador que morreu na Cova da Onça tá pouco se danando se morreu gente no morro dos Prazeres).

O jornalista que sabia da existência do órgão e ligava para lá, recebia informações preciosas e em primeiríssima mão sobre a quantidade de mortos. Os caras passavam tudo, na maior paciência, e às vezes, até falavam sobre o número de vítimas por localidade, quantidade de feridos e tudo mais. Isso até a manhã desta quarta-feira.

Pois bem, no início da tarde do mesmo dia, quem ligava para lá e pedia a informação, os bombeiros que atendiam se negavam a passar. Um deles alegou (e com razão) que falar com um repórter atrapalhava o serviço porque o telefone era usado para socorro.

Corre nos bastidores que o governo proibiu que eles passassem as informações porque, com elas, a imprensa se antecipava aos fatos e divulgava os números atuais muito antes do conhecimento das próprias autoridades.

Agora, o jornalista que não tiver uma boa fonte lá dentro vai ter que depender da assessoria de imprensa da corporação que, normalmente, recebe tudo com atraso e o telefone vive ocupado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário