terça-feira, 2 de março de 2010

Polícia vai registrar crimes em domicílio. Mas será que vão subir o morro?

Também esta semana começou a funcionar a Delegacia de Dedicação Integral ao Cidadão (Dedic), serviço que permite o registro de ocorrência de crimes em domicílio. O primeiro bairro contemplado foi Copacabana. À exceção de roubo e furto de veículos e homicídios, qualquer vítima acessa o site da instituição (www.policiacivil.rj.gov.br) e relata o ocorrido na tal Dedic. Com essas informações, o cidadão poderá agendar uma visita de policiais à sua casa ou marcar hora na DP.

Nas próximas duas semanas o programa vai contemplar moradores das áreas da 14ª DP (Leblon), 15ª DP (Gávea), 16ª DP (Barra da Tijuca), 19 ª DP (Tijuca), 35ª DP (Campo Grande) e 77ª DP (Icaraí). A última turma formada pela Polícia Civil proporcionou essa inovação. Também foram comprados laptops e viaturas descaracterizadas para que os registros em casa sejam feitos com discrição.

Reparem que à exceção de Campo Grande (área dominada majoritariamente por milícias) e da Barra da Tijuca (onde não há favelas), são todas delegacias da Zona Sul, onde grande parte das favelas estão ocupadas pela PM. Assim é mole...

Houve uma mudança na escala de serviços. Agora, em vez de 11 policiais trabalhando diariamente em plantões de 24 horas, todos os dias haverá 55 agentes nessas delegacias. O projeto é experimental, mas a expectativa de que tudo dê certo é tanta que, até o fim de 2011, todas as unidades da capital deverão ter o serviço à disposição.

Cá entre nós, caros leitores: alguém acredita que policiais civis vão até as favelas dominadas pelo tráfico para que um morador registre uma ocorrência em casa. O agendamento seria uma medida interessante, mas R.O. em domicílio é um pouco demais. Claro que há exceções, como pessoas com dificuldade de locomoção, por exemplo. Fato é que qualquer um passa a ter direito ao serviço, mesmo que more no Buraco Quente, lá na Mangueira ou qualquer outra área perigosa da cidade.

Acredito que essa medida só irá beneficiar moradores das classes mais abastadas que moram na Zona Sul ou Barra da Tijuca e que não gostam de serem flagradas pela imprensa quando têm algum envolvimento com crimes e precisam ir até a delegacia. Até porque, se todo mundo quiser que um policial vá até a sua residência, vai faltar gente nas delegacias, principalmente nas delegacias campeãs de ocorrências de crimes.

É esperar pra ver...

3 comentários:

  1. E tambem o policial corre o risco de marcar um dia pra fazer o registro e morrer.. pois se uma pessoa ligada a algum traficante, marca o horário, o policial pode chegar e derepente ser morto, no horário em que sabem que ele vai aparecer, independente do local que seja.. concorda?

    ResponderExcluir
  2. isso é bom pra criar emboscada pra policiais.

    ahhahhahahaah

    esse governo de merda do cabral junto com o pessoal da secretaria de segurança , acabaram com a segurança pública do rio

    ResponderExcluir
  3. pensamos a mesma coisa... hahahaha

    ResponderExcluir