sábado, 2 de janeiro de 2010

Oficial da PM suspeito de 'vender' favela ocupada ao tráfico está morto

Um oficial da Polícia Militar que vinha sendo investigado por suspeita de ter recebido R$ 150 mil de traficantes para acabar com a ocupação na favela da Metral, na Zona Oeste do Rio, no início deste ano, foi assassinado há pelo menos dois meses, segundo policiais do Serviço Reservado (P2) do 14º BPM (Bangu).

Após surgirem as denúncias, o subtenente Carlos Leite do Nascimento, de 46 anos, desapareceu e foi considerado desertor. Entretanto, segundo PMs do batalhão de Bangu, depois de meses sumido, ele se apresentou no quartel e estava sendo submetido a Conselho de Disciplina, que decide pela expulsão ou não do servidor.

Há dois meses, o PM foi morto em uma suposta tentativa de assalto, em Campo Grande, segundo informações obtidas pelo pessoal da P2. Segundo relatório divulgado no Boletim Interno da corporação, no dia 20 de janeiro, o oficial recebeu pessoalmente de traficantes do complexo do Alemão a quantia de R$ 150 mil para retirar o policiamento da favela da Metral e facilitar a retomada da comunidade pelos criminosos.

O subtenente respondia a um processo na Auditoria da Justiça Militar por deserção. A ação, no entanto, foi cancelada em razão da morte do oficial. A comunidade não está mais ocupada, mas o tráfico também não voltou ao local.

Um comentário:

  1. esse tá no inferno
    policial que se junta com traficante é pior que o proprio traficante.
    esse demorou pra morrer.

    ResponderExcluir