segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Chefão do Andaraí é preso em apê no Recreio

Matéria que publiquei sábado nos jornais O Dia e Meia Hora sobre a prisão de Cabral, chefe do tráfico no Morro do Andaraí, é mais um caso de liderança do tráfico que recebe benefício da Justiça e não retorna para a Prisão. Confira a íntegra da reportagem.

De um apartamento confortável no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste da cidade, o chefe do tráfico no Morro do Andaraí controlava seus negócios. Mas somente até ontem porque Gílson Brígido dos Santos, de 29 anos, o Cabral do Andaraí (foto ao lado), foi preso por agentes da Superintendência do de Inteligência do Sistema Penitenciário (Sispen).

Monitorado desde que saiu do Instituto Penal Edgar Costa, em Niterói, em setembro — quando foi beneficiado com visita a família e não retornou à unidade —, ele foi localizado no edifício número 67 da Rua Alberto Bianchi. Segundo os agentes, era de lá, por telefone, que Cabral controlava o tráfico na comunidade. Ele ficava no Recreio de segunda a sexta-feira, mas passava os fins de semana na favela para arrecadar os lucros da venda de drogas.

"Aos fins de semana, a polícia evita fazer operações em favelas pela grande circulação de moradores. Além disso, Cabral tem dificuldade de locomoção por causa de um tiro que levou no pé, em 2006, e anda de muletas. Por isso preferia ficar no imóvel, mas sem sair de casa e nem colocar a cara na janela", contou um dos agentes da Sispen.

Com seis anotações criminais por crimes como homicídio e tráfico de drogas, Cabral, que foi condenado a 29 anos e três meses de prisão, ainda vai responder por corrupção de menores, já que foi flagrado com uma menor de 16 anos, que seria sua namorada; e por falsificação de documento, pois estava com identidade e carteira de habilitação falsificadas.

Influente na cúpula do CV
Cabral do Andaraí foi preso e recapturado pelo menos três vezes, já que fugiu da cadeia em 2005, mas foi recapturado em 2007. Ao passar para o regime semi-aberto e ser beneficiado pela Visita Periódica ao Lar (VPL), deixou a cadeia em 29 de setembro e não voltou mais.


Ele foi localizado num imóvel de luxo (foto acima), mibiliado recentemente, com direito a duas TVs de plasma e TV por assinatura via satélite. Pelo aluguel do imóvel, Cabral pagava R$ 1.100 mensais. O criminoso mantém laços estreitos com chefões do Comando Vermelho presos em unidades federais. Ele também é suspeito de articular invasões a outras comunidades do Rio. Cabral também é investigado por envolvimento na morte de policiais em 2007 e por roubos nos bairros da Tijuca, Grajaú e Andaraí.

5 comentários:

  1. liberdade pro cabral

    ResponderExcluir
  2. liberdade ja o andarai 100 vc nao e andarai fica com deus

    ResponderExcluir
  3. liberdade irmao vc e andarai

    ResponderExcluir
  4. kkkkkkkkkkkkk o andaraí quer ver vc bem longe comédia q fique mtos anos presos e morra de velho lá dentro pobre e sem ngm

    ResponderExcluir