quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Repórter da Record invade link da Globo



A briga entre as emissoras Record e Globo teve mais um round, na manhã desta quarta-feira. Rídiculo, é bom que se diga. Enquanto uma equipe de reportagem da Globo aguardava em seu link uma entrevista com o secretário executivo do Ministério das Minas e Energia, Márcio Zimmerman, uma colega da Record simplesmente invadiu o link e quis entrevistá-lo na marra.

Tudo se passava ao vivo e a situação era vexatória, sobretudo para a repórter da Record, nitidamente orientada a forçar uma barra pelo apresentador Celso Zucatelli e por alguém da chefia da emissora. Zucatelli, aliás, falou um monte de bobagens durante toda a transmissão. A repórter, coitada, gritou e chegou a colocar o microfone em frente à câmera da concorrente.

O pessoal da Record alegou que o secretário estava parado, sem fazer nada e, portanto, poderia conceder entrevista à Record. Não é bem assim. A TV Globo havia agendado com a devida antecedência a entrevista com Zimmerman, que aguardava o momento de entrar ao vivo. Enquanto isso, a Record tentava tumultuar e era impedida pelos assessores de comunicação do Ministério.

A diferença básica entre as amissoras está no profissionalismo, que fez da TV Globo referência em todo o mundo pelo alto padrão de qualidade do jornalismo que produz. Enquanto isso, a Record insiste naquele complexo de 'primo pobre' e demonstra um amadorismo sem tamanho. O Hoje em Dia, dura algumas horas das manhãs da emissora e aguardar alguns minutos para a entrevista não representaria qualquer problema, visto que não havia entrevista marcada com o secretário pela Rede Record.

Para se ter idéia do desespero da Record e da falta de ética, a tenda que aparece no vídeo foi montada pela Globo para abrigar Zimmerman enquanto durasse a entrevista, já que o tempo não era dos melhores. Um dos pontos altos aconteceu quando o assessor de comunicação do ministério deu uma dura na repórter, alegando que ela havia deixado o link dela para invadir o da Globo.

É lamentável, mas imperdível...

8 comentários:

  1. Amigo não acho ridículo o mais correto não é dar uma exclusiva para a Globo e sim é dar uma uma coletiva, já que o problema afetou não apenas um estado e sim vários estados.
    Infeliz seu comentário amigo!

    ResponderExcluir
  2. Não houve exclusividade para a Globo, caro(a) leitor(a). A TV Globo já havia agendado a entrevista via assessoria de imprensa. Como agendou primeiro, entrevistou primeiro. E a Record tentou invadir a entrevista, sem qualquer preceito ético.
    Tanto que logo depois o secretário falou com a Record da mesma forma que falou com a Globo.
    Quanto à coletiva, ela ocorreu sim, mas à tarde, depois que todas as autoridades do setor se reuniram e tiveram um parecer melhor sobre o ocorrido.
    Infeliz foi o seu comentário, amiga!

    ResponderExcluir
  3. Roberto Marinho no colo do Capeta13 de novembro de 2009 15:40

    Recordo-me bem da edição do debate eleitoral, em 1989.

    Qualquer um que se levante contra a Globo estará a favor do Brasil.

    ResponderExcluir
  4. O único absurdo que vi foi o "pau-mandado", janelista, que, provavelmente, não entrou por concurso público, privilegiar uma emissora.
    A repórter da Record está certa: trata-se de um espaço público! O assunto é de relevância e interesse públicos e esses senhores ocupam cargos e funções públicas (cadê a impessoalidade e urbanidade deles?)
    Quem é esse assessorzinho para determinar alguma coisa?
    CGU nele! privilegiou a Globo com qual objetivos? Recebeu alguma coisa em troca?
    Esse aí não estudou a Lei n° 8.112, de 11 de dezembro de 1990, nem entende de Direito Administrativo.
    Vergonhoso...

    ResponderExcluir
  5. a ecord mesmo parece querem tudo pora criticam a globo a forca e depis dizem que a globo e que critica so muito fingidoo eeles da globo eessse pasto e muito estranhoo so que dinheiroo para que ajuda ta maluco compra casa em miami aii tem

    ResponderExcluir
  6. A Record deu um vexame.

    ResponderExcluir
  7. Lamentável o ocorrido!! Emissora de "quinta" nunca chegará ao alto padrão de qualidade da poderosa. O profissionalismo foi inexistente. Aliás como tem sido...

    ResponderExcluir