segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Preocupado com imagem da PM, Mário Sérgio exonera oficial que provocou tumulto em Niterói

E o comandante-geral da PM, coronel Mário Sérgio Duarte, anda mesmo preocupado com a imagem de sua corporação. Sempre que um fato importante envolve da PM, ele convoca uma coletiva para esclarecer as coisas.

Na madrugada deste domingo, o major Fernando Correa de Oliveira provocou tumulto ao ser parado numa blitz da Lei Seca, em Niterói. Apresentanto "sinais etílicos", ele se recusou a fazer o testo do bafômetro, apontou a arma para a cabeça de um tenente e ainda tentou fugir. Foi necessário que o comandante do 12º BPM (Niterói) entrasse na história para conduzir o major até a delegacia de Icaraí.

Quando eu saía do jornal, pouco depois das 21h, um colega que estava na apuração conversava ao telefone com Mário Sérgio. Ciente da reportagem, o comandate-geral telefonou para o jornal a fim de informar a exoneração do oficial, que estava na geladeira do DGP (diretoria geral de pessoal) e aguardava uma nomeação.

Sem Oderlei, sem comunicação
Se por um lado, Mário Sérgio é uma pessoa acessível, assim como era o exonerado major Oderlei Santos (ex-relações públicas da PM e o melhor que ela já teve), seus novos homens de comunicação já não têm a mesma postura.

Neste domingo, diante da guerra travada na Vila Kennedy, nem Ivan Blaz (ex-rp do Bope), nem Aristeu Leonardo (o bandeirinha) foram encontrados para comentar o caso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário