quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Estatística de bala perdida no Rio omite real número de casos

A Secretaria de Segurança Pública informou que, no primeiro trimestre deste ano, houve apenas três mortes por bala perdida no Estado. Tá errado. Ocorreram, na verdade, pelo menos oito casos, conforme o próprio Temos Isso? divulgou semanas atrás.

Pela metodologia da Secretaria, só é computado como bala perdida quando o policial inclui o termo no boletim de ocorrência. Ou seja, o critério é bem subjetivo embora, pela orientação da pasta, bala perdida é todo caso em que a vítima não tem participação direta no fato que originou o tiro.

Por conta deste absurda metodologia, casos como da estudante Juliana Chaves Lins da Silva, de 14 anos, que morreu em fevereiro atingida por um tiro dentro da quadra da escola de samba Imperatriz Leopoldinense, não foi computado como bala perdida.

Confira agora os casos do primeiro trimestre: 21/03 - Júlia Andrade de Carvalho, de apenas 8 anos, morreu após ser atingida por bala perdida, na Favela Vila Aliança, em Bangu. Segundo testemunhas, a menina foi baleada quando ocorria um confronto entre policiais militares e traficantes perto de sua casa, na Avenida do Corretor.

17/03- Aluísio da Costa, de 38 anos, morreu atingido por bala perdida durante operação da PM no morro da Mineira, no Catumbi.

16/02 - Juliana Chaves Lins da Silva, de 14 anos, morreu baleada com um tiro de fuzil dentro da quadra da escola de samba Imperatriz Leopoldinense.

07/02 - Marta Cristina da Silva, de 14 anos, grávida de quatro meses, morreu atingida por uma bala perdida durante tiroteio ocorrido de manhã no bairro do Engenho da Rainha, na zona norte. O confronto envolveu traficantes rivais dos morros do Urubu e do Engenho.

06/02 - A estudante Luana Rodrigues Junqueira, de 18 anos, lanchava com seu namorado Diego Levindo, de 22 anos, e um casal de amigos, no Habibs da Vila da Penha, nesta madrugada, quando foi atingida na cabeça por uma bala perdida dentro do fast-food. A bala saiu de um confronto entre um PM e um policial civil que brigavam dentro da loja.

01/02 - Sérgio Fernandes da Luz, de 46 anos, morreu atingido por uma bala perdida em São Gonçalo. Ele estava assistindo uma partida de futebol ao lado da esposa no bairro Parada 40 quando ocorreu um tiroteio entre PMs e criminosos.

20/01 - Victor Muanis, de 23 anos, morreu atingido por uma bala perdida ao sair do bar Democráticos, na Lapa.

02/01 - Irani Pereira da Silva, de 43 anos, morreu atingida na cabeça por uma bala perdida. A vítima estava na varanda de sua casa, em Costa Barros, quando foi baleada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário