quinta-feira, 18 de junho de 2009

Grupo de Beira-Mar e PCC em guerra na fronteira

Autoridades brasileiras e paraguaias temem que integrantes da quadrilha do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar (foto) e representantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) na fronteira Brasil-Paraguai podem desencadear uma disputa sangrenta na região.

A suspeita ocorre devido a prisão, nos últimos dias, de 18 pessoas suspeitas de ligação com Beira-Mar, em razão da Operação Salsine da Polícia Federal (PF). Nesta ação, foram apreendidas seis armas, diversas munições e sete veículos.
Segundo as investigações, esse grupo levava drogas via aérea de Cáceres, no Mato Grosso, até o MS. De lá, o entorpecente seguia de carro para São Paulo, Paraná e Minas Gerais. A quadrilha teria perdido pelo menos 100 kg de cocaína nos últimos meses.

O lance é que as autoridades acreditam que a prisão da quadrilha teria ocorrido devido a informações repassadas por integrantes do PCC, o que acirraria a disputa entre os grupos. Um dos presos na operação Salsine seria irmão do traficante José Elias do Amaral, o Bagual morto em dezembro do ano passado. Bagual seria homem de confiança de Beira-Mar e fora assassinado supostamente por membros do PCC.

2 comentários:

  1. ELES QUE SE MATEM... A POLICIA TINHA QUE SOLTAR TODOS ELES..PRA QUE SE MATASSEM.

    ResponderExcluir
  2. O problema é que a soltura deles pode implicar na morte de pessoas que nada têm a ver isso, como todos nós.

    ResponderExcluir