quinta-feira, 16 de abril de 2009

Grandes quadrilhas do tráfico na mira da Justiça

A quadrilha que domina os complexos de favelas do Alemão e da Penha está na mira da Justiça. O processo 2007.001.235584-0 que corre atualmente na 32ª Vara Criminal tem 16 réus, a maioria deles ainda soltos mas com mandados de prisão preventiva decretados e denunciados pelo Ministério Público Estadual.

São eles, os bandidos Choque (Alexander Jesus Carlos), Soldado, Alan e David (já presos), além de FB (Fabiano Atanásio), Major, Talibã, Mica (Paulo Rogério de Souza Paz), Michael Owen, Branquinho, Bernard, Paraíba, Capoeira, Faustão, além de Miller e Nielsen.

Outros grandes bandos também estão sendo processados. É o caso do que atua no Complexo de São Carlos. Ao todo, 23 pessoas respondem processo que corre na 40ª Vara Criminal da capital por tráfico de drogas. Entre eles, estão os dois chefões do bando, Anderson Rosa Mendonça, o Coelho e Rogério Rios Mosqueira, o Roupinol, da Amigos dos Amigos (ADA). Processo foi distribuído em 9 de julho de 2008. Uma mulher está entre os réus.

Outro grupo que está sendo processado é o que faz parte da facção criminosa Terceiro Comando Puro (TCP). São 10 réus, incluindo Márcio da Silva Lima, o Tola e Fernando Gomes de Freitas, o Fernandinho Guarabu, que controla o Morro do Dendê, na Ilha do Governador. Morto recentemente em tiroteio com a polícia, Juarez Mendes da Silva, o Aranha, está incluído no caso. O processo corre também na 40ª Vara Criminal da capital. Foi distribuído em 3 de setembro do ano passado.

O bando que atua no Morro da Mangueira também é alvo. O processo 2007.001.115932-0 da 36ª Vara Criminal tem vários réus. Uns já mortos, Leandro Monteiro Reis (Pitbull) e Jonas da Silva Sales (Gordo). Outros presos (Francisco Testas Monteiro, o Tuchinha), mas tem soltos como Lúcio Mauro Carneiro, o Biscoito e Vinicius Lima Pereira, o Chevette.

Chefões condenados
O chefão do tráfico na Rocinha, Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem, também está lascado. Ele tem uma condenação de 22 anos em um processo da 36ª Vara Criminal do Rio por tráfico de entorpecentes e formação de quadrilha. A sentença é de 2007. Quem também deve prestar contas à Justiça é Luciano Martiniano da Silva, o Pezão, líder do Complexo do Alemão. Em 2007, ele foi condenado há seis anos de cadeia em um processo iniciado em 1999 pela 27ª Vara Criminal dos quais também estão incluídos Márcio dos Santos Nepomuceno, o Marcinho VP (10 anos) e Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar (14 anos).

Nenhum comentário:

Postar um comentário