sexta-feira, 10 de abril de 2009

Conversas com o Bartô (parte II)

Por Marcelo Bastos

Esta quinta Bartozinho estava animado. Após sete meses de reclusão na sala de escuta, ele ganhou a liberade condicional. Desta vez, voltamos cerca de 40 anos no tempo, lá por volta de mil novecentos e alguma coisa. Bartô fala sobre um episódio em que estavam presentes dois repórteres com deficiência física em uma de suas pernas e que mancavam (ou puxavam das pernas, como se dizia) de forma um tanto intensa.

"Estávamos cobrindo uma operação da polícia no Morro da Mangueira, mas nesse dia até que foi tranqüilo. Ninguém morto, ninguém ferido... mas alguns coleguinhas chegaram atrasados, como sempre. Aí vieram me perguntar como estava a operação. Disse que não havia alteração, nada de mortos ou feridos", conta Bartolomeu Brito.

Um dos atrasados, meio contrariado, questiona: "Ninguém ferido? E aqueles dois caras baleados que estão descendo o morro mancando, são o quê?
Depois de uns longos segundos de gargalhadas, Bartô explica: "não, rapaz. Aqueles são repórteres..."

3 comentários:

  1. Mestre Bartolomeu merece um blog só para ele. É memória viva da imprensa carioca. O próximo passo do Temos Isso? deve ser gravar entrevistas em vídeo com o Barthô.

    ResponderExcluir
  2. Concordo plenamente, mas enquanto ele não aproveita toda a sua sabedoria e conhecimento por estas bandas, eu tiro proveito aqui no blog. Grande Bartô!

    ResponderExcluir
  3. tem como voce fazer uma reportagem falando sbre as novinhas como eu??

    ResponderExcluir