sábado, 21 de março de 2009

Valeu, Pitta! Menos dois...

Por Marcelo Bastos

Apesar de o comandante-geral da PM, coronel Gilson Pitta Lopes (foto), não ter feito mais do que a sua obrigação ao expulsar o sargento Francisco Cesar da Silva de Oliveira, o Chico Bala, da corporação, gostaria de agradecê-lo publicamente.

Chico Bala disputa com o também ex-PM Ricardo Teixeira Cruz, o Batman, o controle de comunidades da Zona Oeste do Rio. Ele, que trabalhou como informante para a 35ª DP (Campo Grande) na gestão Marcos Neves, agora chefia uma poderosa milícia na região.

O meu agradecimento se dá porque Gilson Pitta não permitiu que o corporativismo da Polícia Militar mantivesse Chico Bala na corporação. Submetido a conselho de disciplina do 25º BPM (Cabo Frio), sua punição se limitaria a ser 'repreendido'. Até o comandante da unidade pedia a permanência de Chico bala na PM. Pitta aproveitou a oportunidade e expulsou também o cabo Ronald Sílvio Guerino Bortolozzo, uma espécie de braço-direito de Francisco.

O sargento e o cabo respondiam a Inquérito Policial Militar (IPM) por circularem em viaturas da Polícia Civil com armas e coletes daquela instituição. Outro motivo é participação da dupla em crimes ligados ao transporte alternativo. Delegados da Polícia Civil também já apontam Chico Bala como chefe de milícia na Zona Oeste. Valeu, Pitta! São menos dois...

Nenhum comentário:

Postar um comentário