sexta-feira, 27 de março de 2009

Arma para derrubar tanque de guerra é apreendida na Vila Aliança

Por Marcelo Bastos
Fotos: Uanderson Fernandes

Logo no início da manhã de hoje segui para duas operações, uma no Morro do Turano, no Rio Comprido e outra na Vila Aliança, em Bangu, do outro lado da cidade. Nada de tiros, nada de presos, mas os armamentos pesados mais uma vez se fizeram presentes, assim como a praga chamada crack, mas desta vez em tablete.


No Turano, agentes da Core (Coordenadoria de Recursos Especiais) apreenderam um fuzil de fabricação suíça, modelo Sig Sauer, de calibre 7.62 (foto acima). Igual ao utilizado pelo titular da Core, Rodrigo Oliveira, o armamento é usado pelo Exército da Bolívia e está avaliado em R$ 50 mil. O criminoso que estava com o fuzil foi morto e, com ele, ainda foi apreendido um quilo de crack em tablete. Segundo os policiais, a droga ainda não havia sido repartida em pequenas pedras, como é consumida.


Já na Zona Oeste, um artefato chamou atenção até dos PMs do 14º BPM (Bangu): uma granada de bocal (foto acima), de uso exclusivo das Forças Armadas. Considerada munição antitanque e geralmente utilizada em guerras, tinha por objetivo a destruição do Caveirão, o maior inimigo do tráfico. O explosivo é acoplado ao bico do fuzil de calibre 7.62 e é disparo por uma munição especial, e de manuseio relativamente fácil. A polícia acredita que o artefato tenha sido desviado de alguma unidade militar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário