quarta-feira, 18 de março de 2009

Dado Dolabella: tanto barulho por nada

Por Marcelo Bastos

O ator Dado Dolabella passou praticamente 24 horas na cadeia, entre delegacia e carceragem da Polinter, durante as noites de terça-feira e hoje. Desta vez, o motivo foi uma aproximação inferior a 250 metros de distância que o cantor manteve com a também atriz e ex-noiva Luana Piovani. A bobagem representa um desrespeito a uma determinação judicial, motivada por uma agressão sofrida por Luana dentro de uma boate na Zona Sul do Rio, ano passado. Na ocasião, uma empregada da atriz também foi agredida e Dado ainda responde processo por este delito.

Independentemente de qualquer opinião que se tenha sobre Dado ou Luana, eu prefiro guiar meu comentário na direção da tal determinação da Justiça. Dado se 'aproximou' de Luana no camarote da Brahma, no Carnaval deste ano. O local tem aproximadamente 4.000 m². Ambos foram convidados, mas Dado acabou indo embora. Falou-se na ocasião que ele havia sido expulso por estar com drogas no local. O ator nega, é claro. Uma outra aproximação se deu numa festa no Museu de Arte Moderna, há poucos dias.

Fico tentando entender como Dado deve proceder até o fim do processo. Ele e Luana freqüentam os mesmos lugares, como o baixo Gávea, porque ambos são moradores do Leblon. Penso que ele deve ter uma agenda com os telefones de todos os estabelecimentos comerciais que freqüenta. Antes de marcar presença, deve ligar e saber se Luana também está por lá. Quando chegar a algum lugar, a primeira providência é procurar por Luana. Caso ela esteja, Dado deverá ir embora. E se Piovani estiver passando na mesma rua que ele, mas em sentido contrário, o que Dado deve fazer? Atravessar para o outro lado não vai adiantar porque ficarão distantes apenas uns 20 metros, isso se a rua for bem larga. para estar a 250 metros dela, o ator vai precisar correr pelo menos uns três quarteirões para manter o respeito a uma decisão da Justiça.

Dizem por aí que decisão judicial não se questiona, se cumpre. Mas por onde andará o bom senso? Por que motivo a distância deve ser de 250 metros? Qual o critério? Quer dizer que 250 metros pode, mas se estiver a 249 metros de Luana está contra a Lei? Quem é que vai medir essa distância e com que ferramenta? Como pode algo tão absurdo? Não faço a defesa de Dado, repito. Tanto é que sugiro uma prisão domiciliar, por exemplo. É mais clara e mais fácil de fiscalizar. Sinceramente, acho um tremendo exagero mandar alguém para a cadeia por motivo tão fútil. Parece até que os juízes e a desembargadora que julgou o pedido de habeas corpus não têm mais o que fazer e casos mais importantes a julgar.

Dado ficou numa cela do 'seguro' na Polinter da Pavuna, onde dividiu 16 m² com outros 13 presos. Por estar no 'seguro', seus companheiros não tinham facção definida. Dado almoçou a quentinha do xadrez: frango com beringela, arroz e feijão. Recebeu uma rápida visita do irmão mais velho, que levou algumas peças de roupa para ele. A cueca, no entanto, voltou, pois não é permitida a entrada da peça íntima. A polícia alega que, assim como cadarços e cintos, a cueca pode servir para que presos cometam suicídio por enforcamento. Esta unidade da Polinter tem aproximadamente 310 presos, mas sua capacidade é para 150. Dado não direito a cela especial porque não tem formação superior. Caso fosse mantido preso, teria direito a três refeições diárias (café da manhã, almoço e jantar), banho de sol por uma hora, uma vez por dia, e visita uma vez por semana.
Na foto acima, uma lista do que parentes poderiam levar para o ator na cadeia, entre produtos de higiene pessoal, alimentícios e os chamados adicionais, como cigarros, lençóis e barbeador, entre outros (vale a pena conferir). Abaixo, o vídeo do momento em que Dado chega à Polinter.

7 comentários:

  1. sinceramente, essa matéria nem deveria ser mencionada no site, o assunto é muito insignificante

    ResponderExcluir
  2. Concordo plenamente. O assunto é muito insignificante mesmo, mas praticamente toda a imprensa do Rio, e não só a de fofoca, cobriu o caso. Lamentavelmente, barracos envolvendo artistas vendem jornal.
    No post, no entanto, o foco é outro: a determinação da Justiça, que especifica uma distância mínima que uma pessoa deve manter da outra, sem muito critério ou forma de fiscalização. Essa sim acredito ser uma discussão que vale a pena.

    ResponderExcluir
  3. gastou espaço com bundice, hahahaah

    dado dolabella não vale a pena em nenhuma hipótese

    ResponderExcluir
  4. Concordo com o Marcelo.

    Eu fico puto tambem quando vejo aqueles jornais de 50 centavos estampado na capa: "Maria do BBB transa com 3 debaixo do lençol!!"

    Porra o que isso vai ser util e vai acrescenatar na minha vida??? rs

    Mas aqui a questão é outra e o assunto é falando a falta de bom senso imposta pela Justiça Estadual em determinar que o cara fique 250 metros longe da ex-namorada!!

    Se isso acontecesse comigo andaria com uma trena no meu bolso diariamente!

    ResponderExcluir
  5. "A cueca, no entanto, voltou, pois não é permitida a entrada da peça íntima." Apesar da explicação posterior, a frase dá cores surrealistas ao assunto. A propósito, acho mais fácil o cara se matar tentando engolir a cueca do que tentando se enforcar com ela.

    Incrível que ainda tem gente que reclame da atenção que se dá às celebridades. Será que é tão difícil entender que isso é uma indústria, e que por mais que não mude em nada a vida de ninguém, rende assunto é move a economia. Sejamos realistas: pergunte a qualquer pessoa na rua com o que ela está preocupada: código de ética na câmara dos vereadores ou paredão cena de sexo da Juliana Paes, ou paredão no BBB.

    Se pensar bem, a cobertura de esportes funciona de maneira parecida. Campeonatos de futebol não mudam a vida de ninguém, mas rendem assunto e movem a economia. Celebridades e esportes, dá no mesmo, só muda o público. As celebridades são o futebol de mulheres e homossexuais.

    ResponderExcluir
  6. Faço minhas as palavras de Marlosm...

    ResponderExcluir
  7. ISSO É CASO DE BRINCAR DE POLÍCIA, QUEM É QUE TÁ INTERESSADO EM SABER SE O GATO DOLABELA FOI PRESO. O QUE O POVO TÁ INTERESSADO É EM SABER SE A CARA DA LUANA ARDEU COM O TAPA.

    ResponderExcluir