sábado, 28 de março de 2009

Campo Grande: terra sem lei para policiais

Ser policial e morar, trabalhar ou passar pelo bairro de Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, é tarefa das mais arriscadas. Dos 34 policiais assassinados este ano no Estado do Rio (até ontem), seis foram em Big Field, palco de uma batalha entre duas milícias, a Liga da Justiça e o Comando Chico Bala, liderada pelo ex-PM Chico Bala (foto), expulso semana passada da corporação. Detalhe: apenas um dos mortos estava de serviço.


Tudo indica que os mortos tenham sido vítimas da guerra entre grupos paramilitares. Nesta sexta-feira, três policiais, dois PMs e um civil, foram assassinados durante um bangue-bangue próximo à rodoviária do bairro. O policial civil, segundo investigações, não tinha qualquer envolvimento com o crime. Ele estava trabalhando quando viu o tiroteio e tentou evitar.
Falam em confronto entre milicianos ou, então, alguma coisa ligada à máfia dos caça-níqueis.

No dia 13 de março, a vítima foi o cabo Carlos Renato Geraldo da Silva, do 6º BPM( Tijuca), morto a tiros na Estrada da Posse. Ele passava por Comissão Disciplinar na corporação, mas há a suspeita de assalto.

Em 7 de fevereiro, o cabo Antônio Carlos Rodrigues da Silva, lotado no 17º BPM (Ilha do Governador), foi morto a tiros na favela Muriçaba. Ele estava participando de um churrasco na Rua 3, quando quatro bandidos em uma pick-up se aproximaram do grupo e atiraram. Suspeita-se que o crime tenha ligação com a milícia numa disputa pelo controle de pontos de gatonet.

O primeiro da lista foi o sargento da Polícia Militar Marco Antônio Barreto Siqueira, o Rambo, de 41 anos, morto com vários tiros de fuzil na porta de casa no dia 17 de janeiro. Ele seria aliado a Ricardo Teixeira da Cruz, o Batman, atual chefe da Liga da Justiça. Rolou um papo de que ele era motorista de um deputado estadual, o que foi negado pela Assembléia Legislativa.

Chapa quente em Rio das Ostras
Outro lugar onde estão morrendo policiais é na bela cidade de Rio das Ostras. Só este ano, já apagaram quatro por lá. Quem quiser acompanhar diariamente casos de violência contra policiais, pode acessar o link http://mortes.depolicia.com/ ou o blog da colega Roberta Trindade http://robertatrindade.wordpress.com/2009/03/27/estatisticas-de-policiais-mortos-em-2009/

Um comentário: